OUÇA A RÁDIO

Delegado federal quer comandar a Prefeitura da Serra em 2020

“O Estado existe para promover o bem-estar social, sua função é tentar tirar a desigualdade entre o rico e o pobre”

Redação Fatos & Notícias 

Texto: Haroldo Cordeiro Filho

Delegado federal Márcio Greic (Foto: Assessoria de Comunicação)

Com um discurso técnico e pragmático, possível pré-candidato a prefeito do município da Serra pelo PSL, egresso de Barra de São Francisco e estudante da rede pública de ensino até o ensino médio, funcionário concursado de uma das instituições mais respeitadas do País, o delegado federal Márcio Greic, iniciou sua fala dizendo que a diferença entre um liberal e um socialista, é que o socialista entende que o Estado tem a missão de distribuir riqueza, mas o Estado não é um bom gerador de riqueza, quem gera riqueza é a iniciativa privada, são as empresas e as pessoas trabalhando.
“O Estado existe para promover o bem-estar social, sua função é tentar tirar a desigualdade entre o rico e o pobre. Quanto melhor essas condições, mais as pessoas geram riquezas. Eu costumo dizer que você não acaba com a pobreza eliminando os ricos da face da terra, mas incentivando a geração de riqueza”, argumenta.
Numa padaria do município, iniciamos o bate-papo de maneira descontraída e informal onde o delegado falou que o principal desafio da próxima gestão será combater o desemprego. “O município tem condições de criar meios para que haja maior oferta de emprego e uma delas é acabando com a burocracia, que o próprio sistema impõe a quem quer empreender”. Na sua visão, esse é um dos maiores gargalos que impede o desenvolvimento econômico de qualquer município, estado ou nação”.
“Vamos criar uma incubadora. O que vem a ser isso? Trata-se de um prédio grande com compartimentos, salas reservadas para empreendedores que estariam começando sua empresa e poderiam ocupar esse espaço para compartilhar suas ideias com vários outros empreendedores. Ao invés de pagar aluguel, você pagaria por dois ou três anos, uma prestação de condomínio, suficiente para pagar as despesas – limpeza, papel higiênico, água, energia, internet e outras necessidades para o bom funcionamento do projeto até o momento que a empresa atingir maturidade e, assim, com mais experiência, partir para o concorrido mercado”.
“Na Educação, é necessário haver uma ligação direta do município com o governo federal. Nós que somos do PSL facilitaria muito o acesso a esses recursos. A Serra teve escola que obteve 3,3 pontos na avaliação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Essa escola está reprovada, é um absurdo! A rede privada de ensino exige média 7,0 para aprovação”.
O delegado foi enfático ao dizer que o Brasil fez uma opção errada para a educação. “O governo federal é que tem os recursos e mantém o ensino das instituições de nível superior do País, e os municípios, que são os mais carentes de recursos, ficam responsáveis pelo ensino básico, e isso é cruel! O que adianta eu oferecer uma universidade boa para o aluno que não teve o ensino básico bem feito? Precisamos dar prioridade ao ensino fundamental”, exemplificou.
“A minha proposta é que haja um bônus para equipe que trabalha na escola onde esse benefício é pago, a depender da nota que os alunos conseguirem nas provas de avaliação dos institutos federais responsáveis. Isso é um estímulo a mais ao bom trabalhador, aquele que se qualifica e busca sempre obter o melhor resultado”, pontuou.
Perguntado sobre a saúde ele sintetizou dizendo que não atende às necessidades da população. “Hoje, a prefeitura gasta um dinheiro alto com manutenção das academias a céu aberto e nem são frequentadas. Não têm profissionais da área de educação física para acompanhar as atividades físicas. Coloca em risco a saúde dos poucos que frequentam. Vamos propor convênios com as academias dos bairros para atender a todas as idades, inclusive a população idosa. Tenho no projeto, implantação do Medicvídeo, onde o paciente pode ser atendido por vídeo conferência… isso vai ajudar muito o sistema, a saúde pública é dever do Estado”.
“A Serra tem um potencial hidrográfico fantástico. Eu fico triste em saber que temos lagoas, rios e manguezais que podiam ser explorados turisticamente. Tenho amigos que saem daqui para pescar no estado de Mato Grosso. Temos lagoas maravilhosas e que poderiam estar sendo usadas para atividades turísticas. Trazer espécies como pirarucu, tucunaré e assim, incrementar mais o turismo local, mas, ao invés disso, temos a poluição. Vejo que o governo precisa rever esses contratos, quais as obrigações da Cesan, exigir que sejam cumpridas as cláusulas e avançar para a Parceria Público-Privado (PPP), para implantação de melhorias no sistema de tratamento de esgoto. Precisamos despoluir nossas lagoas, nossas praias e matas, porque elas são instrumentos vitais para fomentação do turismo”, advertiu.
“Eu finalizo dizendo que temos que rever todos os contratos firmados com a prefeitura. Não só o da Cesan, mas todos os contratos para ver se são realmente vantajosos para o município, caso não seja, procurar as medidas legais para fazer valer o que foi contratado. A Serra hoje, segundo informações, gasta mais de seis milhões de reais por mês com limpeza pública, acho que a terceirização do serviço público, só é viável quando ela traz economia para o município. Nem tudo pode ser terceirizado, mesmo porque, existem atividades que, se fossem executadas pelo poder público, teriam menor custo e a qualidade bem superior.
Porque terceirizar se a prefeitura pode contratar sob o regime da CLT, igualmente as terceirizadas? Não existe uma lógica! Nós não vamos renovar contrato com a Engeurb, Mosca e nenhuma empresa da área de limpeza, entendemos que uma parte desses seis milhões podem ser reinvestidos em políticas públicas para a população”, sentenciou.

Errata: corrigindo a informação repassada na reportagem, ao contrário do que foi informado, a nota de 3,3 no IDEB não se refere à média global das escolas públicas da Serra. Embora existam notas ainda menores do que esta, como é o caso da EEEFM – MARIA JOSÉ ZOUAIN DE MIRANDA, que obteve nota de 2,6 no IDEB de 2017, na verdade a nota indica a menor média por escola entre as notas divulgadas referente ao IDEB no citado ano. O texto foi corrigido.

As informações podem ser conferidas no endereço: https://www.qedu.org.br/cidade/2724-serra/ideb/ideb-por-escolas?dependence=5&grade=2&edition=2017

Morro Mestre Álvaro, na Serra (Foto: Olhares.com/Agda Joselita)

Haroldo Cordeiro Filho
Jornalista – DRT 003818/2018
Microempresário e Coordenador-geral da ONG Educar para Crescer
Estudante de Filosofia – Estácio de Sá de Vitória

Haroldo Cordeiro Filho

Haroldo Cordeiro Filho

Jornalista haroldojornalfatosenoticias .es@gmail.com
Luzimara Fernandes

Luzimara Fernandes

Jornalista redacaojornalfatosenoticias .es@gmail.com
Rafaela Rangel

Rafaela Rangel

Nutricionista CRN-ES 08100271-rafaelarangel. nutricionista@gmail.com
Jorge Pacheco

Jorge Pacheco

Advogado, Radialista e Jornalista redacaojornalfatosenoticias .es@gmail.com

Sobre nós

Nossa missão é informar de maneira isenta e independente e ser referência, no Estado, em conteúdo focado na responsabilidade social e ambiental.

Contatos

  • Vitória - ES - Brasil
  • (27) 3070-2951
  • jornalfatosenoticias.es@gmail.com

Clima

booked.net

© Copyright 2019 - 2021 - Jornal Fatos & Notícias.

Fabrício de Queiroz, motorista de Flávio Bolsonaro movimentou 1,2 milhão de reais. Muito suspeito, não?

Redação Fatos & Notícias