OUÇA A RÁDIO

Inovação política

Com a política correndo nas veias, prefeito de Baixo Guandu fala da paixão que tem pelo ofício e o que espera para o futuro do seu município, do Estado e do País

Redação Fatos & Notícias 

Texto: Haroldo Cordeiro Filho

Neto Barros recebe o jornalista Haroldo Cordeiro Filho (Foto: Haroldo Cordeiro Filho)

Bisneto, neto e filho de político, o advogado Neto Barros, que já foi vereador pelo município e agora está em seu segundo mandato como prefeito de Baixo Guandu, falou um pouco dos pontos positivos da sua gestão. Nesta entrevista, ele vai direto ao ponto e fala sobre falta de credibilidade política que assola o País e dá sua opinião sobre o tema.
“Ao contrário do que está na moda falar, tenho orgulho de ser político. A política foi demonizada, as pessoas, hoje, têm aversão, têm ojeriza… nojo de política. Portanto, como esperar melhoria da classe política no nosso País se a sociedade não incentiva a entrada de pessoas decentes na política?”, indaga.
Como responsável por quase 32 mil habitantes, sendo 80% deles moradores da sede. Neto Barros diz que, como gestor, tem a presunção de investir os parcos recursos que dispõe em coisas certas para que esse investimento retorne com desenvolvimento econômico e aumentando a arrecadação do município. O que, segundo ele, não é fácil.
“Em 2012, a Justiça Eleitoral exigiu que todos os candidatos apresentassem um plano de governo, antes dessa exigência, eram palavras ao vento. Todas as ações que estamos executando, está no programa de governo, nós temos uma linha de governo aprovada pela população e que é melhorada, calibrada pelas reuniões do orçamento participativo que são realizadas nos bairros e distritos… O político ignorante, às vezes, acha que sabe tudo, quer fazer uma coisa legal para a comunidade com R$ 1 milhão, não consegue fazer com que ela se desenvolva, mesmo com um investimento desse patamar e acaba jogando o dinheiro fora, porque não sabe o que o povo queria. Talvez se ele colocasse R$ 100 mil numa coisa necessária, prioritária, ele acertaria mais no ponto e faria aquela comunidade prosperar muito mais do que o foi feito com R$1 milhão”, argumenta.
“Na educação o nosso propósito foi fazer uma Plano Municipal de Educação juntamente com um plano pedagógico. Foi tudo muito democrático, discutido com a comunidade escolar. Nele, ficou definido que todos os alunos do município, independente de ser da sede ou de regiões mais longínquas, tenham acesso ao mesmo nível de aprendizagem e, além disso, qualificamos os professores com seminários, fóruns e melhoramos os salários. Para se ter uma noção dos efeitos alcançados, em 2005, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) foi de 3,5 e, hoje, temos escola que alcançou a pontuação 7,5”, orgulha-se.
No que diz respeito à saúde, para Neto Barros, a saúde pública é um caos no País todo. “Temos dificuldades, como a maioria dos municípios, mas no que diz respeito à saúde básica, temos conseguido cumprir com as nossas demandas como, por exemplo, as farmácias estão todas abastecidas com os medicamentos básicos, de uso diário”, esclarece.
“Na área turística, estamos desenvolvendo o turismo esportivo, pois temos geografia favorável à prática esportiva. Temos a Rampa do Monjolo de Voo Livre, que se tornou no maior evento esportivo do Espírito Santo e investimos na decoração da cidade no Natal e no Réveillon, isso potencializou sobremaneira a economia da cidade”, explica Neto Barros.
O prefeito ainda destacou que a agropecuária tem uma importância muito grande na economia do município, porém, a produção está aquém devido às condições climáticas. O setor de comércio, de rochas ornamentais, que conta com uma das maiores jazidas do Brasil, também tem provocado uma expectativa de crescimento muito grande.
Segundo Barros, o rompimento da barragem de Mariana/MG deu muito prejuízo ao município. “O desequilíbrio ecológico que essa tragédia provocou sequer é mensurado… Ninguém sabe ainda o tamanho da tragédia. Existem umas mudanças na água que a ciência está buscando elementos para descobrir, são 56 técnicos, a nata, a elite, os melhores crânios na área ambiental prestando serviços à Fundação Renova. No entanto, posso dizer que trata-se de uma assessoria de luxo para as empresas criminosas. Criaram essa fundação com o objetivo de botar panos quentes nas reais condições ambientais. No governo, todo mundo tinha rabo preso com esse pessoal… eles que bancam as campanhas políticas. Ou seja, em vez de punir, criaram a Fundação Renova. O objetivo foi único e exclusivo de blindar a empresa Samarco Mineração S.A., empreendimento conjunto das maiores empresas de mineração do mundo, a brasileira Val S.A. e a anglo-australiana BHP Billiton… Para o prefeito, foi uma jogada genial, no ponto de vista de marketing, para livrar as empresas.
Sobre a política do governo federal, Barros Neto foi categórico: “O presidente Jair Bolsonaro ganhou a eleição numa onda e tenho sérias preocupações com o futuro do País”.
Para finalizar o prefeito fez uma indicação de leitura, o livro “Nada menos que tudo”, Ed. Planeta, do ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Vista aérea do município de Baixo Guandu (Foto: Haroldo Cordeiro Filho)

Qualidade da água

Para o diretor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Baixo Guandu (SAAEE), Luciano de Bem Magalhães, em 2015, quando houve o rompimento da barragem de Mariana/MG, tomaram conhecimento de que os rejeitos iriam pelo Rio Doce. “Tivemos a preocupação de analisar o material e vimos que a tabela periódica estava toda nos rejeitos e eles, da Samarco, diziam que não havia com o que nos preocupar… muitos municípios mineiros fizeram a análise e engavetaram, só pode!”.
“Em uma semana, mudamos nossa captação para o Rio Guandu, que no período de chuva a água fica muito turva, sem condições de tratar, mas, hoje, captamos água do Rio Doce e essa água é tranquilamente tratável… e pronta para consumo, eu garanto”, argumentou o diretor.

Diretor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Baixo Guandu, Luciano de Bem Magalhães (Foto: Haroldo Cordeiro Filho)

Haroldo Cordeiro Filho
Jornalista – DRT 003818/2018
Microempresário e Coordenador-geral da ONG Educar para Crescer

Haroldo Cordeiro Filho

Haroldo Cordeiro Filho

Jornalista haroldojornalfatosenoticias .es@gmail.com
Luzimara Fernandes

Luzimara Fernandes

Jornalista redacaojornalfatosenoticias .es@gmail.com
Rafaela Rangel

Rafaela Rangel

Nutricionista CRN-ES 08100271-rafaelarangel. nutricionista@gmail.com
Jorge Pacheco

Jorge Pacheco

Advogado, Radialista e Jornalista redacaojornalfatosenoticias .es@gmail.com

Sobre nós

Nossa missão é informar de maneira isenta e independente e ser referência, no Estado, em conteúdo focado na responsabilidade social e ambiental.

Contatos

  • Vitória - ES - Brasil
  • (27) 3070-2951
  • jornalfatosenoticias.es@gmail.com

Clima

booked.net

© Copyright 2019 - 2021 - Jornal Fatos & Notícias.

Fabrício de Queiroz, motorista de Flávio Bolsonaro movimentou 1,2 milhão de reais. Muito suspeito, não?

Redação Fatos & Notícias