OUÇA A RÁDIO

Disco misterioso é observado perto de buraco negro supermassivo

Segundo dados do Telescópio Hubble, o objeto está no centro da galáxia espiral NGC 3147: descoberta ajudará a testar teorias de Albert Einstein

Redação Fatos & Notícias

Ilustração do disco do buraco negro da galáxia NGC3147 (Foto: ESA/Hubble, M. Kornmesser)

Usando o Telescópio Hubble, astrônomos observaram um misterioso disco fino de matéria próximo a um buraco negro supermassivo, no centro da galáxia espiral NGC 3147, localizada a 130 milhões de anos-luz da Terra. A descoberta é importante, pois é uma nova chance de testar as teorias sobre a relatividade de Albert Einstein.
“Nunca vimos antes os efeitos da relatividade geral e da relatividade especial na luz visível com tanta clareza”, afirmou em comunicado, Marco Chiaberge, do Space Telescope Science Institute da Universidade Johns Hopkins.
Segundo dados das medições do Hubble, o disco de gás está se movimento ao redor do buraco negro a uma velocidade que corresponde a cerca de 10% da velocidade da luz (299 792 45,8 m/s). Em velocidades extremas como essa, ocorre o efeito da irradiação relativística, no qual o gás parece ficar iluminado quando está em direção à Terra e aparenta escurecer quando se distancia do nosso planeta.

Galáxia NGC 3147 (Foto: ESA/Hubble & amp; Nasa, A. Riess et al.)

“Nunca vimos antes os efeitos da relatividade geral e da relatividade especial na luz visível com tanta clareza”, afirmou em comunicado, Marco Chiaberge, do Space Telescope Science Institute da Universidade Johns Hopkins

O fato do disco observado estar no centro da NGC 3147 — uma galáxia ativa com baixa luminosidade — chamou a atenção dos cientistas. Isso porque um buraco negro em galáxias desse tipo não consegue capturar suficiente material que sofre efeito — é como se o buraco negro “passasse fome”.
Além disso, é intrigante que um disco fino esteja presente, pois o que é mais comum é que um disco bem maior exista em galáxias muito mais ativas. O objeto fino é feito de gás e está altamente capturado pelo intenso campo gravitacional do buraco negro, que possui 250 milhões de vezes a massa do Sol.
Segundo as teorias sobre a relatividade, o buraco teria um campo gravitacional tão intenso que o disco seria modificado. Não muito distante da teoria, as observações permitiram notar que o gás está tão envolvido pelo campo gravitacional que a luz não escapa.

A hipótese dos pesquisadores seria que discos são formados quando uma grande quantidade de gás é presa pela grande força de atração da gravidade dos buracos negros. Eles acreditam que isso causa uma grande emissão de luz e forma um quasar (um objeto poderosamente energético e muito brilhante).
“O tipo de disco que vemos é um quasar em uma escala menor, algo que nós não esperávamos que existiria”, contou Stephano Bianchi da Universidade degli Studi Roma Tre, da Itália.

Fonte: Galileu.com

Haroldo Cordeiro Filho

Haroldo Cordeiro Filho

Jornalista haroldojornalfatosenoticias .es@gmail.com
Luzimara Fernandes

Luzimara Fernandes

Jornalista redacaojornalfatosenoticias .es@gmail.com
Rafaela Rangel

Rafaela Rangel

Nutricionista CRN-ES 08100271-rafaelarangel. nutricionista@gmail.com
Jorge Pacheco

Jorge Pacheco

Advogado, Radialista e Jornalista redacaojornalfatosenoticias .es@gmail.com

Sobre nós

Nossa missão é informar de maneira isenta e independente e ser referência, no Estado, em conteúdo focado na responsabilidade social e ambiental.

Contatos

  • Vitória - ES - Brasil
  • (27) 3070-2951
  • jornalfatosenoticias.es@gmail.com

Clima

booked.net

© Copyright 2019 - 2021 - Jornal Fatos & Notícias.