Política

Liderança de Jardim Camburi almeja uma cadeira na Câmara de Vitória

Nesta entrevista, Juninho fala sobre o trabalho social que desenvolve na comunidade e do que pretende lutar, caso ganhe uma vaga na Câmara Municipal

Juninho Barbarioli é morador de Jardim Camburi há 31 anos, pós-graduado em Gestão Estratégica de Marketing e Vendas, casado e pai de uma menina que fez questão de dizer o nome, Lara Ricardo Barbarioli. Nesta entrevista, ele fala sobre o trabalho social que desenvolve na comunidade e do que pretende lutar, caso ganhe uma vaga na Câmara Municipal de Vitória, após a eleição de outubro.
Segundo ele, colocou o nome à disposição da comunidade porque se vê “com condições de buscar soluções e mecanismos que proporcionem qualidade de vida, não só para os moradores da minha comunidade, mas também por toda população do município de Vitória”.
Embora resida em uma área privilegiada, Juninho vê situações que desafiam o poder público no que diz respeito a políticas públicas sociais. “Moro numa área nobre e populosa e esses são fatores que causam problemas sociais gravíssimos. As reclamações são diversas, mas a que mais aflige a população e os comerciantes é a insegurança. Eles reclamam do tempo que os policiais levam para chegar até o local do assalto. Dizem que ligam para o Centro Integrado Operacional de Defesa Social (Ciodes) e eles, por sua vez, ligam para a Central do Bairro e, isso, demanda muito tempo, quando chegam ao local, os bandidos já se evadiram, dificultando a prisão dos envolvidos. Foi então que, em 2017, tive a ideia de criar o “Help Comunidade”. Trata-se de um aplicativo que otimiza e dá velocidade à ação policial. Com esse aplicativo, a vítima em situação de perigo, pode acionar tanto a Guarda Municipal quanto a Polícia Militar, que podem fazer o cerco sem dar tempo de o assaltante fugir da região”, explica.

Vista aérea de Jardim Camburi, Vitória (Imagem drone: Haroldo Cordeiro Filho)


De acordo com Juninho esse aplicativo não atende somente o comércio, mas também o transporte coletivo e os motoristas de Uber. “Sabemos que o número de policiais na rua é pequeno e o aplicativo vem para somar, ou seja, é uma ferramenta a mais no combate ao crime”.
Ainda segundo ele, o aplicativo foi aprovado pelo centro de tecnologia da Polícia Militar, apresentado para a Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa e aprovado pelos parlamentares, que elogiaram muito, porém, não entrou em vigor ainda. “Seria importante que ele fosse colocado em execução o mais rápido possível, porque a população precisa de mecanismos fáceis de manuseio para ser parte no processo. Muitos comerciantes estão perdendo mercadorias tendo que fechar as portas por causa desses assaltos. Todo mundo que baixar o aplicativo vai receber a informação do que está acontecendo num raio de três a quatro quilômetros. O prefeito Luciano Resende me procurou e, em reunião, demonstrou interesse em integrar o “Help Comunidade” ao “Cerco Inteligente, mas até agora nada foi definido. Pagamos impostos para termos o mínimo de dignidade e segurança é primordial para vivermos com qualidade… Afinal, cadê o nosso direito de ir e vir?”, questiona.
Quando questionado sobre a educação como um processo transformador e de relevante importância social, Juninho frisa que a educação da capital é boa, porém precisa de alguns ajustes. “A educação na capital é boa, mas o modelo atual precisa de alguns ajustes. Exemplo, é a merenda escolar, que precisa ser oferecida nos feriados e em período de férias, muitas crianças dependem dessa refeição. Outra coisa, é o muro que divide as instituições de ensino da comunidade. A escola e a comunidade devem estar entrelaçadas, em completa interação. Elas deveriam abrir à comunidade nos finais de semana e feriados. É nelas que estão os equipamentos para prática de esportes. Hoje nossas crianças ficam na frente de uma tela de celular ou de um computador praticamente o dia inteiro, eu cito como exemplo a minha filha que, se deixar, nem dorme, só para ficar no mundo virtual. Precisamos resgatar brincadeiras de antigamente, estimular a prática de atividades físicas. Imagine os pais acompanhando seus filhos num feriado, num sábado ou num domingo para recrearem nas escolas ou nas praças, com profissionais que atuem na área de recreação (bolinha de gude, queimada, pique-bandeira, pião, elástico, pique-boia…) contratados pelo município… Investindo certo na educação, teremos famílias estruturadas e mais comprometidos com as causas sociais”, afirma.

Haroldo Cordeiro

Haroldo Cordeiro

Jornalista – DRT: 0003818/ES Coordenador-geral da ONG Educar para Crescer

Related Posts

  1. Avatar

    Juninho veio de uma educacao
    Proposital a fazer o bem ,é um HOMEM respeitado e digno de assumir um cargo de vereador
    No nosso bairro Jardim camburi nessa próxima eleição, quero pedir a todo que dê esse foto de confiança
    Porque sei que teremos respostas positivas no seu poder
    Irá mudar muitas coisas ,até por morar aqui a 34 anos .
    Precisamos de pessoas que com sua Vitória,ficaremos satisfeito com as
    Mudanças suas promessas não são
    Promessas mentirosas ,até porque conheço a sua índole e não vai nos fazer enganados pela sua vontade e pela sua GARRA conto com o apoio
    Tamo junto JUNINHO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *