Política

Política da humildade e dos pés no chão

Pré-candidato acha que os atuais vereadores não estão nem aí para a população, estão mais preocupados em fazer politicagem do que cumprir com as suas obrigações: legislar e fiscalizar o prefeito

Com uma visão mais voltada para os necessitados, Roberto Carlos Bringhente, mais conhecido como Betão da Oficina, veio de Colatina, cidade localizada a Noroeste do Estado, para fixar residência no município da Serra, há 25 anos. Morador da comunidade de Jardim Carapina, Betão se disse pré-candidato a vereador pela cidade porque está cansado de ver políticos trabalharem em causa própria. Acha que os atuais vereadores não estão nem aí para a população, estão mais preocupados em fazer politicagem do que cumprir com as suas obrigações: legislar e fiscalizar o prefeito.
“Temos uma cidade rica, mas com um desnível social muito grande. Temos duas Serras, de um lado uma minoria com muito e, do outro, uma grande maioria, concentrada nas periferias com pouco. Os bairros parecem mais lixões, a prefeitura não está recolhendo os lixos nos pontos viciados. Em Jardim Carapina, bairro que resido, a coisa está feia, para onde olhamos, encontramos vários pontos de acúmulo de lixo. No entorno da comunidade, que faz divisa com o manguezal Lameirão, é triste olhar, têm meses que a prefeitura não recolhe… a periferia do município virou um verdadeiro lixão, está abandonada”, denuncia.
Betão também se diz indignado com a falta de compromisso e zelo com o dinheiro público. Os impostos do contribuinte vão pelo ralo e a população menos favorecida é quem sofre as consequências desse descaso. “Descobrimos uma emenda no valor de R$ 60.000,00, para manutenção de uma escadaria do nosso bairro que serve para estudantes terem acesso às escolas de outros bairros, mas que nunca foi feita. Eu, com ajuda da comunidade, fiz o mesmo serviço com apenas R$ 2.500,00. Aí é que a gente vê para onde o dinheiro público vai”, critica.

Escadaria reformada com ajuda da comunidade (Foto: Assessoria de Comunicação)

Betão esclarece que teve várias opções para concorrer às eleições de outubro, muitas ofertas de partidos e até mesmo de políticos. “Fui procurado pelo atual prefeito para compor o seu grupo mas disse não, porque não senti confiança. Outros grupos me procuraram também, mas preferi me filiar ao PDT, e me colocar à disposição de Sérgio Vidigal, é um grupo mais pé no chão, mais humanizado, mais confiável e ele já mostrou do que é capaz. Urbanizou e preparou o município para o futuro no tempo em que esteve à frente da prefeitura. Como deputado federal, está trazendo recursos para setores sociais importante do município como saúde, educação, infraestrutura e agricultura, são várias emendas. É humano, um político verdadeiro que inspira confiança e que tem o meu apoio”, diz.
Sobre seus inúmeros planos e projetos, caso seja eleito, Betão tem alguns voltados para a saúde e, um deles, é fiscalizar as marcações de consultas, para que todas sejam realizadas na data marcada e os atendimentos humanizados para que todos os usuários tenham um atendimento digno. “O objetivo é trabalhar de modo a propor um modelo de atendimento emergencial, de forma rápida, eficaz e menos burocrático. Levar saúde para dentro das escolas, onde todas as crianças serão atendias por dentistas estagiários, uma vez na semana, para aplicação de flúor e limpeza geral”, exemplifica.
A educação também precisa de um solavanco e ser atraente para os estudantes. É preciso criar incentivos para cativar alunos e professores e, assim, termos de uma educação verdadeiramente inclusiva, de qualidade e atraente a ambas as classes: discentes e docentes. “Na educação, lutarei, junto ao governo estadual, por uma escola de ensino médio em Jardim Carapina e em outras comunidades do município onde existem demanda. Vamos incentivar alunos que se destacarem em sala de aula com brindes variados (bicicleta, tablet, notebook etc.)”.

Jardim Carapina é margeado por pontos viciados de depósito de lixo (Foto: Assessoria de Comunicação)

Em infraestrutura, Betão tem como meta informar à população a realidade referente ao saneamento básico. “Pagamos uma taxa de esgoto absurda para a Cesan e os serviços prestados nos trazem grandes transtornos como alagamentos, esgoto a céu aberto e despejo de esgoto, sem tratamentos, em área de preservação ambiental (manguezal). Outra coisa que teremos que resolver é o alagamento da rua do colégio Padre Gabriel, onde o causador é o Parque de Exposição de Carapina e reativar a sede da Associação de Moradores de Jardim Carapina que, atualmente, encontra-se completamente abandonada. O prédio está totalmente deteriorado e não há documentação regularizada, como CNPJ, por exemplo”.
A mobilidade urbana é outro ponto que se faz urgente e necessário no município. Dar opções de transporte aos moradores é uma das soluções para o trânsito caótico da cidade e também para o meio ambiente. “Trazer mobilidade urbana para a população é um ponto-chave, apresentarei um projeto para a construção de uma ciclovia na pista nova dos bairros de Boa Vista e Jardim Carapina para que os moradores e os ciclistas possam realizar suas atividades com segurança e construir assentos e cobertura nos pontos de ônibus. Acredito que, com essas medidas e o apoio do futuro prefeito, teremos uma Serra menos desigual”, finalizou.

Haroldo Cordeiro

Haroldo Cordeiro

Jornalista – DRT: 0003818/ES Coordenador-geral da ONG Educar para Crescer

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *