Educação

Brasil conquista medalha de ouro em Olimpíada Internacional de Astronomia

Feito foi alcançado pela primeira vez por um dos dez estudantes da equipe brasileira; os outros nove também levaram para casa medalhas de prata ou bronze

Depois de concorrerem com mais de 480 mil estudantes na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), dez jovens foram selecionados para representar o País na 14ª edição da Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA, na sigla em inglês) — e todos tiveram um desempenho de dar orgulho. O Brasil levou dez medalhas, uma para cada integrante da equipe, incluindo a medalha de ouro (até então inédita).
Organizada na Colômbia, a competição aconteceu entre os dias 14 e 21 de novembro de forma híbrida e teve a participação de 48 países. Cada nação podia inscrever uma ou duas equipes de até cinco estudantes do ensino médio, o que totalizou 70 equipes competidoras. Todas realizaram cinco exames: uma prova teórica, uma prova de análise de dados, duas provas observacionais e uma competição por equipes, que é a única não contabilizada na pontuação.
Os professores Eugênio Reis, do Observatório Nacional, e Júlio César Klafke, do Colégio Objetivo, estiveram à frente das equipes, que foram colideradas pelos medalhistas da IOAA João Gabriel Stefani Antunes e Bruno Piazza. Eles tiveram o papel de sugerir correções nas questões das provas, traduzi-las, corrigi-las e comparar as notas com as da correção oficial.

Na ordem da esquerda para a direita: Ualype de Andrade, Maria Antônia del Nero, Gabriel Menezes, Eduardo Toledo, Cauan Hideki, Otávio Ferrari, Ian Takose, Gabriela Martins, Bruno Makoto e André Gonçalves (Foto: Divulgação)

Quem levou a medalha de ouro foi o estudante de Americana, em São Paulo, Otávio Casagrande Ferrari. Ficaram com a prata André Andrade Gonçalves, de Imperatriz (MA); Eduardo Camargo de Toledo, de Campinas (SP); e Bruno Makoto Tanabe e Ian Seo Takose, ambos de São Paulo (SP).
Os outros cinco membros da equipe levaram o bronze: Cauan Hideki, de Jundiaí (SP); Gabriel Hemétrio, de Belo Horizonte (MG); Gabriela Martins dos Santos, de Brusque (SC); Maria Antônia Picanço del Nero, do Rio de Janeiro (RJ); e Ualype de Andrade Uchôa, de Fortaleza (CE).
“Os estudantes realizaram uma verdadeira maratona para chegar aonde chegaram, começando pela prova nacional da OBA, seletivas com provas online e meses de treinamento puxado”, conta o professor Eugênio Reis, em nota enviada à imprensa. “Todo esse esforço foi mais do que recompensado com todos ganhando medalhas, além da inédita medalha de ouro”, comemora.

Foto de capa: Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica

Fonte: Revista Galileu

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EnglishPortugueseSpanish