Paleo & Arqueologia

Encontrados os restos de um ganso gigante que viveu na Austrália há 45 mil anos

Ave pesava cerca de 230kg, podia medir até dois metros de altura e coexistiu com humanos

Pesquisadores descobriram o crânio de um “ganso gigante” pré-histórico na Austrália, pertencente a uma ave extinta que pesava cerca de 230kg e podia medir até dois metros de altura. O fóssil, com idade entre 45 mil e 50 mil anos, pertence à espécie Genyornis newtoni. O último crânio conhecido de um desses pássaros havia sido encontrado em 1913.
O fóssil foi encontrado nos leitos secos do Lago Callabonnam, uma região remota do sul da Austrália, em 2019. Além do crânio de 32cm, os pesquisadores encontraram um esqueleto fossilizado quase completo da ave. A descoberta é tema de um estudo publicado no periódico científico Historical Biology.

O Genyornis newtoni, um parente distante do ganso australiano, possuía um crânio maciço, além de mandíbulas superiores e inferiores grandes. Suas adaptações físicas permitiam uma mordida forte e a capacidade de triturar plantas e frutos moles. A ave viveu ao lado de outras criaturas gigantes, como lagartos e cangurus, e coexistiu com os primeiros humanos que chegaram à Austrália há cerca de 50 mil anos.

A descoberta do crânio bem preservado permite aos cientistas esclarecer a relação evolutiva do Genyornis com outras espécies, um quebra-cabeça complexo que agora começa a ser resolvido. Jacob Blokland, responsável por uma reconstrução científica da ave, destacou que o uso de aves modernas como comparativo possibilitou a reconstrução precisa do corpo do Genyornis. O fóssil encontrado em 1913 estava muito danificado e, por isso, até hoje não havia certeza sobre a aparência do pássaro.

Fonte: History Channel Brasil

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EnglishPortugueseSpanish