Política

Majeski indica ampliação de vagas de mestrado e doutorado para professores da Rede Estadual

Edital aberto oferta apenas 24 vagas para um total de 6,6 mil professores efetivos da Sedu

Professor com mais de 30 anos de experiência em sala de aula, mestre em Educação pela Ufes e presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Cumprimento dos Planos Nacional (PNE – 2014/2024) e Estadual de Educação (PEE — 2015/2025), o deputado estadual Sérgio Majeski apresentou indicação ao governo do Estado para a ampliação da oferta de vagas de capacitação de professores no programa Pró-Docência Stricto sensu.
Ofertado pela Secretaria de Estado da Educação (Sedu), o programa de capacitação é exclusivo para os profissionais efetivos do magistério público estadual que ainda não possuem pós-graduação Stricto sensu, mestrado ou doutorado, no nível pleiteado.

“As metas dos planos Nacional e Estadual de Educação têm como objetivo elevar gradualmente o número de matrículas na pós-graduação Stricto sensu para os professores. Desde 2015, quando assumi o meu primeiro mandato, insisto no compromisso de professor em promover uma educação pública de qualidade, por acreditar que só por meio dela que alcançaremos o desenvolvimento da nossa sociedade. Um dos desafios que o Estado deve enfrentar está relacionado à atratividade e à permanência na carreira docente, em que devemos considerar como fatores essenciais as condições de trabalho, o salário, os planos de carreira e a formação inicial e continuada”, destaca Majeski.

(Foto: Getty Images/iStock)

De acordo com o edital publicado pela Sedu, as inscrições do Pró-Docência prosseguem até o dia 28 de junho e estão disponíveis 20 vagas para mestrado acadêmico ou profissional e quatro para doutorado acadêmico ou profissional. Ao participar, o professor, dentre os benefícios concedidos, não sofre prejuízos nos vencimentos e vantagens mensais.
“Esse é um ponto que necessita de melhor esclarecimento. Infelizmente temos recebido reclamações constantes de professores relatando a dificuldade em conseguir junto à Sedu licenças remuneradas e, até mesmo, não remuneradas para dar continuidade à formação. Prejuízo para o profissional e, principalmente, para a educação capixaba”, completa Majeski.
Uma das emendas apresentadas por Majeski ao projeto que vai definir a próxima Lei de Diretrizes Orçamentárias do Estado estabelece prioridade no Orçamento 2022 de recursos para a formação de professores em nível de pós-graduação. O objetivo é favorecer a ampliação da qualificação dos profissionais da educação no próximo ano.

(Foto: iStock)

Texto: Assessoria de Comunicação

Haroldo Cordeiro

Haroldo Cordeiro

Jornalista – DRT: 0003818/ES Coordenador-geral da ONG Educar para Crescer

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EnglishPortugueseSpanish