Arq & Urb

O que se sabe até agora sobre a nova e futurista capital do Egito ainda sem nome

Projeto da cidade administrativa onde ficará a nova sede do poder econômico e político do Egito

Você já ouviu falar da ‘Futura Capital Administrativa’? Desde 2015, o governo do Egito está construindo uma cidade localizada a cerca de 35 quilômetros da atual capital — Cairo — que promete ser futurística, com planejamento sustentável e um novo polo turístico para o país.
A nova cidade ainda não tem nome e não deve ser confundida com a Nova Cidade do Cairo, um município ao lado da Cairo Antiga. A Nova Cairo e a Futura Capital Administrativa têm o mesmo propósito: reduzir problemas causados pela grande densidade populacional da capital egípcia. Para se ter uma ideia, em São Paulo, a cidade mais populosa do Brasil, há 13 mil habitantes em um quilômetro quadrado. Na Cairo Antiga são quase 37 mil pessoas por quilômetro quadrado.
A nova cidade não é somente uma forma de resolver questões habitacionais do Egito, mas também possui fins políticos. O governo militar egípcio deseja que a nova cidade simbolize um país que equilibra a tradição — inclusive, os principais registros arqueológicos do Egito Antigo irão para um novo museu na nova cidade — com a modernidade.

Confira um vídeo do novo projeto:

O projeto da nova metrópole combina práticas sustentáveis e promete garantir 15m² de área verde por habitante. Além disso, há um profundo investimento em luz solar e em sustentabilidade hídrica, tendo em visto que a nova capital fica relativamente distante do Rio Nilo, principal fonte de água potável em todo o Egito.
O dinheiro para financiar esse projeto megalomaníaco é originário de dois países: a China e os Emirados Árabes Unidos, que estão investindo uma grande quantidade de dinheiro no programa, que deve ficar pronto em breve. O governo militar egípcio já vendeu uma série de apartamentos no local.
Entretanto, a nova cidade não é só um projeto urbanístico sustentável. A cidade é uma tentativa de fortalecer o poder simbólico de Abdel Fattah Saeed Hussein Khalil el-Sisi, militar que governa o país desde 2014, quando deu um golpe no presidente eleito Mohamed Morsi.

El-Sisi tornou o projeto da Nova Capital seu principal símbolo na missão de reconduzir o país à liderança dentro do mundo árabe, mas o alto custo do projeto causa indignação em boa parte da população (Foto: Getty Images)

Além disso, o projeto serve como uma forma de dar mais poder para as Forças Armadas do país. “Não há dúvidas de que o projeto é uma forma de incentivar as indústrias que ficaram destruídas depois da Primavera Árabe, mas também é um método para ampliar a capacidade do Exército se tornar ainda mais forte na economia egípcia. Durante as obras, as Forças Armadas estão provendo o cimento e o aço para a construção da nova cidade”, escreve a Al Jazeera sobre o projeto.
Vale lembrar que o exército egípcio governa o país desde 1952, com uma interrupção durante o momento da primavera árabe. A nova cidade é uma demonstração de força, cujo símbolo principal é a praça central que contará com o Obelisco Capitale, um prédio com, pasmem, um quilômetro de altura, que deve ultrapassar o Burj Khalifa como edifício mais alto do planeta.

Prédio mais alto do mundo estará localizado no centro da cidade que está sendo construída do zero no meio do deserto (Foto: Wikimedia Commons)

Fonte: Hypeness

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EnglishPortugueseSpanish