Política

Convenções partidárias

Oi, eu sou *ARGOS PANOPTES, mas pode me chamar de ARGOS. Meus 100 olhos estão sobre a cidade da Serra. Se você quiser a minha opinião sobre qualquer assunto, escreva nos comentários

Vamos falar sobre as convenções partidárias? Esta semana, até dia 16, quarta-feira da semana que vem, é decisiva para a Política, pois do dia 13 ao dia 16 de setembro precisam acontecer as convenções partidárias. O prazo para entrega das convenções é dia 26 de setembro.
Então você sabe, pode haver falcatrua aí no meio, porque podem ser feitas duas, três, atas de convenções partidárias, com diferentes direcionamentos, ficando ao gosto das articulações políticas, a escolha do caminho a seguir.
Tem político que já está com o “burro na sombra”, desculpa-me pelo jargão matuto, mas não resisti. Outros ainda precisam passar pelas convenções. Geralmente as resoluções dos partidos políticos deixam por conta do Diretório Municipal a escolha do caminho a seguir, fazer coligações ou não, são escolhas das convenções partidárias municipais.
Mas há casos em que o Diretório Nacional do Partido dá algumas orientações que precisam ser seguidas pelos Diretórios Estaduais e Municipais, como é o caso do PTB, cujo presidente declarou que seu partido não fará alianças com partidos de oposição ao governo federal.
Afirmar que todos os pré-candidatos já estão com um pé na campanha eleitoral é muito arriscado, tem gente que não pode dar certeza de que o partido lançará sua candidatura. Embora, esse ano, a eleição municipal seja diferente, onde pudemos ver todos os partidos em busca de nomes para lançar como candidatos na majoritária, sabemos que muitos são oportunistas e se apresentam como pré-candidatos apenas para valorizar o passe e conseguir algum benefício.
Um amigo me contou que a única forma de você garantir sua candidatura é tomando a direção de um Partido. Fora isso, seu destino estará sempre nas mãos de alguém, que pode te usar como objeto de barganha política. Nos bastidores da política não se pode duvidar de nada. Com meus cem olhos já vi inimigos de conversinha, já vi opositores tramando na surdina um ardil para excluir pré-candidato. Já vi de tudo e sei que tudo é possível na política.
De todas as candidaturas na Serra/ES, pode-se dizer que somente os pré-candidatos que são presidentes dos Partidos podem dar a certeza de que serão candidatos. São eles, pela ordem alfabética, GUSTAVO PEIXOTO, pelo PROS, SÉRGIO VIDIGAL, pelo PDT, e VANDINHO LEITE, pelo PSDB.
Os outros estão correndo atrás da confirmação de seus nomes, mas como não são donos dos Partidos, ficam dependendo dos interesses de terceiros.
Olhando no cenário eleitoral da Serra em 2020, talvez a pré-candidatura mais balançada seja a do DELEGADO FEDERAL MÁRCIO. Já passou pelo PSL ao tempo de JAIR BOLSONARO, já esteve no PRTB do Vice-Presidente General Mourão, agora está no MDB, que é Centrão, embora o partido esteja namorando uma aproximação com o Presidente da República.
Muita gente não acredita que o MDB vai bancar a candidatura do DELEGADO FEDERAL MÁRCIO. Embora ele tenha um discurso forte de moralidade e honestidade, sabemos que ultrapassar a barreira da politicagem não é tarefa fácil. Resta esperar se o esforçado pré-candidato consegue vencer essa etapa.
O cenário ainda é de incerteza e muitos pretensos candidatos não anunciaram o desejo de concorrer. Quem tem ajuda de servidores comissionados ou de beneficiários do sistema político coloca gente para falar o que eles querem que seja falado. São os políticos que falam pela voz de outros.
Até dia 16 de setembro muitas águas vão rolar. Têm as coligações que vão surgir e, principalmente, as definições dos vices-candidatos a Prefeito, cargos que não são muito discutidos na pré-campanha. Talvez porque ninguém faz campanha para ser candidato a vice, assim como nenhum time de futebol entra num campeonato para ser segundo colocado.
Bom, vou ficando por aqui. Na semana que vem voltamos, já com as definições dos candidatos a Prefeito da Serra confirmados.
Já me arrisco a dizer que restará não mais que seis candidatos na disputa. Mas é só um palpite.

*Argos Panoptes (em grego: “Argos que a tudo vê”), na mitologia grega, era um gigante cujo corpo era coberto por olhos ou que tinha cem olhos. Foi nomeado pela deusa Hera (Juno) para vigiar Io que havia sido transformada em uma novilha por seu marido, o deus Zeus (Júpiter).
Enquanto dormia, metade dos olhos se fechava e descansava enquanto a outra metade vigiava. Para acalmar o gigante, Hermes tocou uma melodia tão linda em sua lira que todos os olhos do gigante se fecharam.
Uma vez que Argos Panoptes estava dormindo, Hermes cortou sua cabeça para impedi-lo de reviver e informar Hera (Juno) sobre o que ocorreu; isso permitiu que Zeus (Júpiter) tivesse seu encontro. Hera (Juno), para homenagear a morte de seu guardião favorito, colocou os olhos de Argos Panoptes na cauda de seu pássaro favorito, o pavão.

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EnglishPortugueseSpanish