Política

Fundão a caminho do desenvolvimento

O prefeito Gilmar Souza Borges (PSB), em entrevista ao jornal Fatos & Notícias, anunciou projetos que ele e seu vice, Murilo Coutinho (Cidadania), pretendem implementar no município, planos que irão ajudar a alavancar, principalmente, o segmento turístico nos próximos quatro anos.
Segundo os gestores, a administração tem uma projeção de investimentos na casa de R$ 50 milhões (nos quatro anos de governo) e o turismo é uma das prioridades da gestão. Por ter uma geografia e paisagem natural privilegiada, Fundão tem tudo para se tornar uma potência turística. “A natureza foi muito generosa com o povo de fundão, nos presenteando com praias e uma região de montanha maravilhosa”, pontua o prefeito.
Gilmar, que já teve três mandatos anteriores como prefeito do município, explica que a ideia é colocar em prática um projeto turístico elaborado por sua equipe em 2004, mas que, infelizmente, não teve sequência nas gestões posteriores. “Nesses 16 anos que fiquei fora da gestão do município, o projeto foi completamente abandonado, mas agora que retornei ao comando pretendo dar sequência ao que iniciamos lá atrás”, afirma.
Uma dessas atrações, que já estava no plano de ação do governo municipal, é a retomada das atividades do Parque Municipal do Goiapaba-Açu. Retomando os projetos, o parque se tornará um grande ponto de visitação turística, práticas esportivas e lazer, segundo o prefeito Gilmar Souza Borges.
“Já temos a pavimentação de acesso garantida pela Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), vamos tentar recuperar o convênio que tínhamos com a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) para a instalação de um observatório astronômico, pois já existe a base do telescópio, e recuperaremos, também, o laboratório de produção de orquídeas e bromélias, que também estava pronto para funcionar, mas, infelizmente, não aconteceu”, lamenta Gilmar.
De acordo com Murilo e Gilmar, o projeto Parque do Goiapaba-Açu é magnífico, pois conta com área para restaurante, centro de vivência, área de laboratório, viveiros… já existe tudo, só precisa recuperar o que tem, e isso, já está em andamento.
Outro projeto que tem tudo para alavancar não só o turismo, mas a cultura da região, é o Caminho do Saber. Com conotação religiosa, a iniciativa visa dar visibilidade aos monumentos culturais e religiosos de Fundão e dos municípios vizinhos. “A ideia é iniciar na Serra, pela Igreja dos Reis Magos, passar pelos monumentos naturais do município de Fundão, Ibiraçu (Mosteiro Zen Budista), por João Neiva e Santa Teresa, cidades que têm infraestrutura para receber bem e segurar o turista na região, com seus hotéis, restaurantes, pousadas, bares e belezas naturais… Na verdade, Fundão tem como estar bem inserido, temos montanha e um litoral belíssimo, que faz com que o turista se senta bem”, diz Gilmar.
O prefeito faz questão de esclarecer que o fato de ter feito uma junção de secretarias, entre elas a de Turismo, é simplesmente estratégia. “Estamos evitando despesas com secretarias que, no momento, não seriam necessárias, podemos ter uma subsecretaria voltada para a questão cultural do município, atrelada às questões turísticas, com efetividade”, esclarece.

Murilo faz coro e concorda com Gilmar, no que diz respeito ao corte de despesas no município. “As pessoas têm que entender que Fundão é um município pequeno, que não exige uma megaestrutura das grandes cidades. Estamos aqui para melhorar e reconstruir Fundão, mas isso não é uma tarefa fácil, pois são 16 anos de desgovernos e desmandos. Então, tem que moralizar para que a cidade volte se desenvolver”, ressalta.
Uma das apostas da gestão para mudar a cara do turismo fundãoense é o litoral. Praia Grande está com um projeto para alavancar o comércio da orla: Passarela da Moqueca. Segundo Murilo, a obra está praticamente pronta (70% dos trabalhos concluídos). “A Passarela da Moqueca tem tudo para deslanchar e desenvolver o turismo em Praia Grande. Só que agora não temos como funcionar devido à pandemia”, adverte.
Gilmar concorda e acrescenta que o município tem tudo para atrair turistas para o litoral até mesmo fora do verão. “No inverno, por exemplo, poderíamos criar o Festival de Orquídeas em Praia Grande. Fizemos isso lá atrás, com o Primeiro Fórum Cultural em Praia Grande, mas não deram sequência, na primeira e única edição que fizemos, enchemos os hotéis de Praia Grande e os de Nova Almeida, em pleno inverno”, destaca.
Gilmar finaliza dizendo que reduziu as secretarias para cortar gastos e focar nos projetos realmente importantes e estruturantes do município, começando pelo litoral, Praia Grande. “Nós já temos as ruas Rio de Janeiro, Espírito Santo e Porto Alegre definidas para serem pavimentadas, possivelmente ainda este ano. Nós estamos com o projeto da orla que contemplará 8km de infraestrutura em Praia Grande, que também, já está em andamento e o da Beira-Rio, que terá 1km de extensão no rio Reis Magos com urbanização”, ressalta.
Gilmar frisa que foi importante a reestruturação no organograma das secretarias, pois a economia e o poder de investimentos no município, com verbas da própria prefeitura, são altos. “Se você pegar o investimento próprio da prefeitura, nos últimos três anos, foram investidos aproximadamente R$ 7,4 milhões sendo que, todos os processos dos projetos desenvolvidos aqui, tiveram valores aditivados de forma absurda e duvidosa. Só neste ano, com a economia que estamos fazendo, projetamos investir entre 12 e 14 milhões, e para os quatro anos de mandato, faremos investimentos em torno de R$ 50 milhões… Temos propósitos e não vamos sair do foco, vamos nos tornar modelo para que as pessoas possam nos visitar e ver as coisas belas que temos a oferecer”, exalta.
Mas para tanto, prefeito e vice contam com o apoio do Legislativo para aprovar o projeto de reestruturação administrativa. “Não tenho dúvidas de que teremos uma parceria boa com o Legislativo. Nesse primeiro momento, surgiram dúvidas de algumas pessoas que não conseguiram interpretar ou entender que os nossos conceitos de gestão são completamente diferentes dos anteriores. Queremos Fundão nos trilhos do progresso e da autossustentabilidade”, garante Gilmar.

Foto de capa: Haroldo Cordeiro Filho

Haroldo Cordeiro

Haroldo Cordeiro

Jornalista – DRT: 0003818/ES Coordenador-geral da ONG Educar para Crescer

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EnglishPortugueseSpanish