Política

Associação de pastores faz sabatina com candidatos na Serra

Texto: *Pedro Paulo de Souza Nunes

Aconteceu, na última segunda-feira (12), sabatina política com candidatos à prefeitura da Serra. Promovido pela Associação de Pastores Evangélicos da Serra (Apes), o evento ocorreu na igreja Assembleia de Deus do bairro Maringá, na região do Civit, e contou com Alexandre Xambinho (PL), Bruno Lamas (PSB), Fábio Duarte (REDE), Gracimeri Gaviorno (PSC), Luciana Malini (PP), Marcio Greik, com candidatura sub júdice (MDB), Sérgio Vidigal (PDT) e Vandinho Leite (PSDB).
Sob a coordenação do presidente da entidade, pastor Marcelo Henrique, cada postulante teve cinco minutos para expor suas propostas de governo. Em seguida, responderam por dois minutos perguntas formuladas por pastores em três etapas. Como não foi caracterizado por debate, não houve perguntas entre os concorrentes. O público presente foi composto basicamente por assessores e convidados dos concorrentes, além dos próprios organizadores. Com todos os assentos ocupados, o evento também foi transmitido pelas redes sociais.
O fato de o evento ser realizado num templo religioso motivou alguns candidatos a se lançarem mais abertamente em busca por apoio dos líderes religiosos presentes, usando como expediente a vivência cristã “desde sempre” e a citação de passagens bíblicas. Alguns, a exemplo de Alexandre Xambinho e Vandinho, viram ali a oportunidade de trazer temas nacionais para a eleição da Serra, mas a ideia não conseguiu prevalecer. Outros se preocuparam tanto com a apresentação do currículo que a exposição das propostas ficou em segundo plano dado ao tempo exíguo, casos de Bruno Lamas e Luciana Malini.
No entanto, ninguém foi mais infeliz neste quesito do que o candidato da REDE, vereador Fábio Duarte. Além de chegar com o evento em andamento — não obstante ser realizado a cerca de 100 metros de sua residência — o candidato praticamente usou o tempo a ele destinado para defender o empréstimo de 370 milhões, feito pelo atual prefeito e que vai começar a ser pago no próximo mês. Retirado da cota do Fundo de Participação do Município (FPM), o gasto vai impactar negativamente a receita. O assunto foi levantado por Sérgio Vidigal, que ao colocar suas propostas para áreas prioritárias como saúde, educação e segurança levou os presentes a refletirem sobre a Serra pós-pandemia e a consequente queda de arrecadação, sendo necessária reforma administrativa para enfrentar a crise. Preocupado em defender a administração, Duarte se esqueceu de dizer o que pretende fazer pela cidade.

*O autor é escritor e cronista, membro-fundador da Academia de Letras e Artes da Serra.

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EnglishPortugueseSpanish