Internacional Tecnologia

Força Aérea dos EUA realizou os primeiros voos de um eVTOL pilotado remotamente pelo governo

A Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) publicou que os primeiros voos de um veículo elétrico de decolagem e aterrissagem vertical (eVTOL) pilotado remotamente pelo governo foram bem-sucedidos. A aeronave da série Heaviside, fabricada pela empresa Kitty Hawk, voou em um treinamento ocorrido em Palo Alto, Califórnia, entre os dias 13 e 17 de dezembro de 2021.
Como parte de um treinamento complexo de controle remoto de piloto no eVTOL, o capitão Terrence McKenna, piloto reserva da USAF, praticou várias manobras, desde decolagem e pouso, auto-hover e voo manual, até voo de asa fixa e transições para voo vertical. O experiente piloto de aeronaves tripuladas, como o C-5 Galaxy e o T-38 Talon, auxiliou a equipe da Kitty Hawk no refinamento do produto e nos procedimentos de treinamento.
Equipado com oito hélices elétricas de passo variável, o Heaviside pode atingir 289 km/h, oferecendo também um alcance de 160 km com uma única carga. O peso máximo de decolagem desta aeronave é de aproximadamente 399 kg, permitindo um passageiro de até cerca de 80 kg.

Voando remota e silenciosamente
Entretanto, a Força Aérea dos EUA afirma que o mais significativo é o eVTOL da Kitty Hawk permanecer silencioso: apenas cerca de 35 decibéis a 1.500 pés acima do nível do solo — o que é um pouco mais alto que um sussurro e cerca de 100 vezes mais silencioso que um helicóptero. Além disso, a Heaviside demonstrou 237 transições entre o voo pairado e o voo para frente.
A Kitty Hawk refinou seu uso de recursos de voo automatizados por meio de sua Estação de Controle de Solo, ou GCS; os engenheiros podem fazer upload de um plano de voo, informando ao veículo para voar para determinados locais. Com isso, o Heaviside pode realizar todo o perfil de voo sem intervenção humana.

(Foto: Divulgação/Força Aérea dos EUA)

O recurso Buddy Box
No entanto, um recurso de treinamento destacado no Heaviside é a configuração do Buddy Box (praticamente um controle remoto secundário conectado a um controlador primário). Este sistema destina-se a um instrutor e um aluno exercendo as funções de piloto externo em modo de voo manual; o trainee manuseia e opera a aeronave enquanto o instrutor fornece supervisão e suporte.
Mais ou menos como acontece em um carro de autoescola. Ou seja, o aluno opera o eVTOL sob a supervisão do instrutor, que pode substituir qualquer direção quando necessário ou em caso de urgência a partir do controlador primário.
De acordo com o comunicado oficial da Força Aérea dos EUA, a Kitty Hawk está atualmente trabalhando com a Administração Federal de Aviação (FAA) norte-americana na certificação do Heaviside. Ao passo que a USAF planeja implantar o eVTOL em modo totalmente automatizado em um futuro próximo, para ser pilotado remotamente em suas ações.
Como veículo aéreo militar, a aeronave poderá se tornar essencial para tarefas como transporte de feridos, evacuação de ambientes hostis, entregas de emergência, combate a incêndios e muito mais. Fundada há uma década por Sebastian Thrun e apoiada pelo cofundador do Google, Larry Paige, a californiana Kitty Hawk desenvolveu o Heaviside como resultado de vários protótipos anteriores. Depois, fez parceria com a USAF por meio do programa Agility Prime.

Fonte: Olhar Digital

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

EnglishPortugueseSpanish